domingo, 1 de fevereiro de 2009

Reforço do Apoio Social


Na reunião de Câmara da passada quarta-feira, dia 28, o Presidente Rondão Almeida tomou mais algumas medidas importantes na área social que, pessoalmente, tenho que aplaudir, tanto mais que Portugal e o mundo enfrentam uma grave crise.

Uma dessas medidas foi passar o período de ocupação dos jovens do OMTJ – Ocupação Municipal Temporária de Jovens, destinado a jovens desempregado, com idade entre os 18 e os 26 anos, de oito para onze meses, passando os jovens a ter um período de espera de apenas um mês, enquanto antes era de quatro. Por outro lado, foi decida a atribuição de um prémio de assiduidade e de qualidade da prestação, o que será muito motivador para estes jovens que no Município contactam pela primeira vez com o mundo do trabalho.

Para as famílias em geral, que tenham maior necessidade e menos possibilidade de comprar coisas novas, a Câmara criou um novo programa social, que designou por “Usado Vira Novo”, em que é feita a recolha de electrodomésticos e mobiliário em bom estado e que alguns querem substituir, para ser distribuído a quem precise. Uma boa iniciativa que promove o reaproveitamento de bens usados, colocando algum travão a esta sociedade de consumo em que já nada se aproveitava.

Para os idosos carenciados, portadores do Cartão da Idade de Ouro, a Câmara Municipal deliberou aumentar o tecto do rendimento a partir do qual podem ser abrangidos pelo cartão, passando de 450 euros para 500 euros, e também passa a incluir a entrada livre destes beneficiários nas piscinas municipais. Com esta medida, a autarquia estima que o número de beneficiários do Cartão da Idade de Ouro possa subir dos actuais 1500 para os dois mil. Lembro-me que há poucos meses a Câmara de Elvas tinha aumentado o valor da comparticipação nos medicamentos, de 50 para 75%.

Somos forçados a reconhecer que Rondão Almeida nos consegue continuar a surpreender na área social. Quando pensamos que já fez tudo, eis que nos surpreende com novas medidas e programas inovadores.

9 comentários:

Paulinho disse...

Adorei!
Este blog é mesmo fixe!

Paulinho Simões

Mário Bernardes disse...

Muito bem amigo Rondão!
Ajudar os que precisam.
Era bom que aqui em Évora seguissem o seu exemplo.

Abraço.
Mário Berbardes

Marco Machado disse...

Tu dizes que és "forçado a reconhecer"...
Há muitos mais assim. As evidências leva-os a ter que ver aquilço que a grande maioria dos elvenses já viu: que Elvas nunca teve um Presidente da Câmara tão bom e nem de candeia acesa encontramos outro igual.

Kruzes Kanhoto disse...

Obrigado pela visita e pelo comentário deixado no "Kruzes".

Sem dúvida excelentes noticias para os elvenses que, gostem ou não do estilo do presidente, reconhecerão que são medidas muito positivas.

Manuel Fernandes disse...

Face à crise internacional os políticos têm que responder com firmeza e com políticas sociais. Assim faz o estado central e assim se está a fazer em Elvas!

Marco Machado disse...

75% dos elvenses adoram o estilo do nosso Presidente e das excelentes meddas que ele toma para melhorar o nosso Concelho.

Daniel da Silva disse...

É verdade "Kruzes", quer se goste ou nao, Rondão Almeida é o melhor presidente de Câmara que Elvas alguma vez já teve. Pelo menos o senhor presidente trabalha para o bem estar dos elvenses e para o desenvolvimento da cidade, uma bofetada de luva branca para aqueles que dizem que este presidente se acomodou ao cargo, mas o que é certo é que quanto mais anos passa à frente dos destinos de Elvas, mais o nosso presidente consegue inovar e mostrar que velhos são os trapos. Da minha parte e da grande maioria dos elvenses o meu muito obrigado senhor presidente!
Abraços

Bernardino Fialho disse...

Rondão Almeida é imparável na área social, na área das obras, na área cultural, na área financeira, na área da gestão... em todas as áreas.
Excelente Presidente!
Felicidades.
O meu voto em Rondão Almeida é certo nas próximas eleições.
Imparável!

Bernardino Fialho

Maria disse...

Tudo o que a Câmara fizer pela área social, concordo.
Nesta altura de crise os mais desfavorecidos ainda precisam de maior atenção.